Coordenadora Pedagógica

Coordenadora Pedagógica
Coordenadora Pedagógica Maísa

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

BRINQUEDOS FALANTES

Colegas, o Natal está chegando...

Estou postando uma sugestão de
PROJETO para o Natal espero que gostem.

Gosto de trabalhar com livros porque nos ensinam, nos fazem pensar e refletir sobre muitas coisas que acontecem e nos levam a um mundo de fantasias em poucos segundos. Para finalizar o ano letivo escolhi o livro BRINQUEDOS FALANTES de Gilda Figueiredo Padilha com ilustração de Sandra Aymone  que objetiva despertar nos alunos e em nós o verdadeiro sentido do Natal através da participação, atividades alegres e espontâneas, enfatizando um ambiente festivo, propício à solidariedade e amor ao próximo.  

O livro BRINQUEDOS FALANTES conta a história do Papai Noel que pegou no sono, bem na véspera do Natal. Mas três anjinhos solidários resolveram ajudá-lo, preparando uma surpresa para as crianças com a ajuda da Fada Maravilha e do Chispa – Chispa.

O projeto e o livro "Brinquedos Falantes" já estão lincados. Agora, você quer ver as atividades? Então, clique aqui.

Obrigada pela companhia durante o ano.

Beijos a todas aos amigos lindos que estão sempre no blog!


Ah! E não se esqueça de comentar...

sábado, 27 de agosto de 2011

AS FLORES DA PRIMAVERA

“A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.”
Cecília Meireles

Vamos recebê-la com esse lindo livro do escritor Ziraldo Alves Pinto – Ziraldo, que conta uma linda história que com certeza encantará seus alunos.
De todas as estações do ano, a preferida do Bichinho da Maçã é a Primavera. É quando ele se diverte entre as flores mais lindas, usufruindo de aventuras maravilhosas.
Conheça o PROJETO e o LIVRO COM AS ATIVIDADES.

Muita aprendizagem e Feliz Primavera para vocês!
Beijinhos coloridos e perfumados, Maísa.

domingo, 14 de agosto de 2011

LINGUAGEM MATEMÁTICA

Olá colegas,
preparei algumas atividades de matemática observando a Matriz de Referência da Provinha Brasil, com os livros que já postei:
NO REINO DAS LETRAS FELIZES E O MENINO QUE APRENDEU A VER.
Espero que gostem. Querendo ver é só clicar Aquí

domingo, 24 de julho de 2011

O menino que aprendeu ver

Colegas, este livro: O MENINO QUE APRENDEU A VER é uma sugestão da professora Lucimari. O livro é de Ruth Rocha e a ilustração de Walter Ono. No livro a autora mostra a animação de um menino que aprende a ler e quando aprende a ler aprende a ver. É interessante para os professores de alfabetização, pois ajuda a mostrar a importância de ler para descobrir o mundo da escrita.... Muitas janelas vão se abrindo....
É um livro lindo! Apaixonei-me pelo Joãozinho, ele é igual a muitas crianças que estão em nossas escolas, primeiro só vê figuras, desenhos e símbolos. Diante de sua curiosidade sua mãe coloca – o na escola para aprender as letras, os números e todas as coisas.
Vejam a importância da escola e de um professor na vida de uma criança.
Com o Joãozinho vocês ficam livres para criarem atividades desafiadoras e enriquecedoras e podem comemorar a aprendizagem.
Passeiem pela Rua do Sol, tomem o ônibus Rio Bonito, coloquem o cinto, viajam com Joãozinho na imaginação e criatividade, para todos os lugares e todas as áreas do Currículo, não se esqueça de dar uma olhadinha no Planejamento.
Quer conhecer o Livro e as Atividades? É só clicar. Beijos Maísa.

domingo, 10 de julho de 2011

NO REINO DAS LETRAS FELIZES

O livro NO REINO DAS LETRAS FELIZES conta a história de um reino que vive no mais absoluto silêncio. Seus habitantes, as letras, vivem cada uma pra si, sem se comunicar. A rainha Alfa, insatisfeita com aquela desunião, promove um grande baile no qual são apresentadas as vinte e seis letras que formarão o alfabeto. A obra trabalha de maneira lúdica e educativa as vogais e as consoantes, enfocando-as como importantes meios de comunicação e crescimento cultural.
Uma história da autoria de Lenira Almeida Heck (autora brasileira) sobre as letras do alfabeto, útil para abordar as letras do alfabeto com crianças desta faixa etária, distinguindo as vogais das consoantes e realçando a importância da harmonia e da cooperação para o bom funcionamento de um grupo.
Colegas, mas é preciso ficar atentas, para que o alfabeto realmente ajude na compreensão do funcionamento da escrita, é preciso saber usá-lo. Isoladamente, ele não é nada além de uma lista de letras. Apenas mandar a garotada ler a seqüência de A a Z não faz ninguém avançar na alfabetização. Memorizar a ordem das letras é importante, mas esse saber deve ser acionado pelas crianças durante atividades de reflexão sobre a escrita, o alfabeto da classe é um companheiro permanente para quem ensaia os primeiros passos no universo da escrita.
Veja o que diz o PCN "Não é possível tomar como unidade básica de ensino, nem a letra, nem a sílaba, nem a palavra, nem a frase, que descontextualizadas, pouco tem a ver com a competência discursiva, que é questão central. Dentro desse marco, a unidade básica de ensino só pode ser o texto" PCN /Língua Portuguesa (1997, p. 35/36). “Cabe, portanto, à escola viabilizar o acesso do aluno ao universo dos textos que circulam socialmente, ensinar a produzi-los e a interpretá-los (...). A escola precisa oferecer variados materiais impressos de leitura que sirvam como referência e fonte de formação no processo de aprendizagem da língua escrita”. PCN/Língua Portuguesa (1997, p. 30 e 105).
É utilizando – se de textos reais, tais como listas, poemas, bilhetes, receitas, contos, piadas, entre outros gêneros... Que os alunos podem aprender muito sobre a escrita e a leitura.
Ler leva ao gosto, ao prazer, ao vício, e ninguém melhor que o professor para fazer o papel de SHERAZADE, do contador de história, de aliciador que encaminha o aluno no mundo extraordinário e causador de prazer indescritível...

Procedimentos didáticos.
O professor deve:
1. Comece a aula com uma roda de conversa, estimulando todos a contar a você e aos colegas o que mais gostam de fazer, quais as letras que já conhecem, quais palavras já sabem ler e escrever, quais os assuntos que estudaram antes das férias...;
2. Antes da leitura, informar os alunos sobre o livro que será lido, antecipando à temática, as personagens, o local em que a narrativa ocorre, favorecendo, assim, o interesse dos alunos pela história;
3. Após a leitura incentivar os alunos a falar do trecho de que mais gostaram, comparar com outras histórias já lidas e trabalhadas, reler alguns trechos, retomar ilustrações;
4. Fazer revisão dos conteúdos 1° semestre;
• Ajustar o nível de desafio às possibilidades dos alunos para que realmente tenham problemas a resolver;
5. Organizar agrupamentos heterogêneos produtivos, em função do que os alunos sabem sobre a escrita e sobre o conteúdo da tarefa que devem realizar;
6. Garantir a máxima circulação de informação, promovendo a socialização das respostas e dos procedimentos utilizados pelos grupos;
7. Usar e abusar do alfabeto móvel;
8. Por meio de um trabalho com nomes e de palavras contextualizadas, possibilitar aos alunos o desenvolvimento do conceito de letra e das combinações possíveis entre elas;
9. Acompanhar as hipóteses levantadas pelo aluno para perceber em que etapa do processo de aprendizagem do sistema de escrita ele se encontra;
10. Levar o aluno a formar palavras por meio da organização das letras, compreendendo a importância da posição que a letra ocupa na palavra;
11. Fazê-los perceber que se escreve com letras, que as letras não podem ser inventadas, que para notar a palavra de uma língua existe um repertório finito (26, no caso do português); que letras, números e outros símbolos são diferentes;
12. Organizar o trabalho pedagógico que possa envolver atividades de leitura, atividades de reflexão sobre o sistema notacional de escrita e atividades de produção de textos orais e escrito dos diversos gêneros, considerando os diferentes níveis de conhecimentos dos alunos;
13. Ajudar o aluno a desenvolver a comunicação oral por meio da exposição de ideias;
14. Ajudar o aluno ampliar os conhecimentos sobre o sistema de escrita, trocando experiências e discutindo a grafia das palavras;
15. Trabalhar e organizar com os alunos uma lista;
16. Realizar atividades em grupo, para que os alunos possam compartilhar decisões e respeitar opiniões;
17. Trabalhar com os alunos a ordem alfabética.


Quer conhecer o livro No Reino das Letras Felizes e suas Atividades ?


domingo, 29 de maio de 2011

OS PINGOS E AS CORES

Colegas, no Projeto Os Pingos sugeri quatro livros. Já postei: O Aniversário, Que Bicho Será, Que Barulho é Este? E hoje estou postando o quarto livro, Os Pingos e as Cores, é um livro lindo, tenho certeza que as crianças vão gostar e aprender muito com ele, como gostaram e aprenderam muito com os outros.
Aprender a ler com os livros de Mary e Eliardo França é muito prazeroso e com as aventuras dos Pingos é certeza de sucesso, porque a arte de Eliardo com suas cores e formas encanta o pequeno leitor e o texto da Mary é enxuto, expressivo e em letra bastão ou caixa alta motiva e facilita a leitura.
Depois de conhecer a turma dos Pingos com sua diversidade de cores e atributos e suas divertidas aventuras na descoberta do mundo, é impossível o leitor não querer mais uma dose de leitura. É ler para aprender a ler e a gostar de ler!
Uma única forma, sete cores e sete atributos, definem Os Pingos. São diferentes na cor (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul celeste, azul anil e violeta), no nome (Pingo-de-Céu, Pingo-de-Fogo, Pingo-de-Ouro, Pingo-de-Sol, Pingo-de-Mar, Pingo-de-Lua, Pingo-de-Flor) e no jeito de ser (um é coração, outro é aventura, outro só alegria e outro sabedoria, outro só música no violão, outro é sono e outro só comida saudável), mas todos são iguais na forma e na disposição para viver e fazer história. Já fizemos várias atividades, colorimos, jogamos. Que tal agora criar músicas com Os Pingos? Mas enquanto a criatividade não chega, sugiro a música da Xuxa, Arco- Íris, Composição : Michael Sullivan, Paulo Massadas, Ana Penido.
Por que...
“Toda cor têm em si uma luz uma certa magia
Toda cor têm em si emoções em forma de poesia.”

Conheçam o LIVRO e as ATIVIDADES que preparei para trabalharem com as suas turmas.


segunda-feira, 23 de maio de 2011

QUE BARULHO É ESTE?

A maneira mais eficaz de trabalhar a leitura na escola desde a Educação Infantil é mostrar que ler não é apenas uma atividade escolar mecânica e descontextualizada, mas sim uma atividade vital, que precisa ser, desde cedo, plena de significação. A leitura é essencial em todas as etapas da vida. O pequeno leitor é crítico, interage com as histórias e isso é muito importante para o seu crescimento. A infância precisa ser vivida em toda a sua plenitude e esses livros buscam principalmente isso. É compensador sabermos que, através da leitura desses livros, os pequeninos estejam resgatando a inocência, o sonho e a fantasia.
Por isso estou postando mais um livro, QUE BARULHO É ESTE? Escrito numa linguagem agradável e cativante de uma apaixonada pela leitura, como nós, Mary França.
Que barulhos são estes, em plena madrugada, que fazem Os Pingos passar a noite acordados?
Conheçam o LIVRO e as ATIVIDADES que preparei para vocês colegas trabalharem com as suas turminhas.

domingo, 22 de maio de 2011

ATIVIDADES LÚDICAS COM OS PINGOS

Colegas, como sabemos o trabalho bem orientado pelos educadores demonstra de maneira inovadora a importância das atividades lúdicas nas praticas educativas da alfabetização.
A evolução da leitura e da escrita, tendência natural, expressiva e criativa da criança, pode ser facilitada pelo educador por meio de atividades lúdicas como apoio ao processo de aquisição da linguagem escrita e falada. Jogar e brincar são atividades que, bem orientadas certamente, contribuirão no desenvolvimento da psicomotricidade no contexto do processo escolar.
Durante os jogos e brincadeiras, as crianças adquirem diversas experiências, interagem com outras crianças, organizam seu pensamento, tomam decisões, observam regras, desenvolvem o pensamento abstrato e criam maneiras diversificadas de jogar, brincar e produzir conhecimentos.
Nesse sentido, os jogos e as brincadeiras são instrumentos pedagógicos importantes e determinantes para o desenvolvimento da criança, pois no jogar e no brincar as mesmas desenvolvem habilidades necessárias para o seu processo de alfabetização e letramento.
Para auxiliar os alunos podemos construir jogos, como: memória, trilha, dominó, baralho, bingo, entre muitos outros.
Como estamos trabalhando Os Pingos estou postando sugestões de jogos com essas criaturas maravilhosas e enriquecedoras.

terça-feira, 10 de maio de 2011

DADOS DA AULA COM O LIVRO “VAMOS ABRAÇAR O MUNDINHO”

Para que a nossa prática tenha sucesso, o trabalho deve ser norteado pelo planejamento das ações que permitirão descobrir o que o estudante já sabe e o que precisa saber para desenvolver-se.
Delineei alguns caminhos como alternativa e apoio aos trabalhos em sala de aula e deixar a turminha envolvida e motivada para esse assunto tão importante. Que tal começar com o Jogo do Meio Ambiente e Um Mapa Conceitual, para levantar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o tema.
Quer conhecer, é só clicar Aquí.

sábado, 7 de maio de 2011

VAMOS ABRAÇAR O MUNDINHO

Autora:INGRID BIESEMEYER BELLINGHAUSEN Editora:DCL
Era uma vez um mundinho...
Lá viviam homenzinhos que faziam de tudo para deixá-lo feliz, pois sabiam como ele era importante.
E o mundinho ficava ainda mais feliz.
Todos de mãos dadas num grande e forte abraço....
Precisamos plantar a semente da conscientização desde já, para que as crianças de hoje sejam os conscientes adultos de amanhã.
Se todos fizerem um pouquinho, poderemos contribuir um montão para o mundo!
Preservar também é coisa de criança abraçaremos esta causa em busca de um planeta mais saudável.
Vamos Abraçar o Mundinho, um livro que propõe uma conscientização em defesa da natureza. É um excelente texto para o primeiro contato dos alunos com uma alfabetização para Educação Ambiental.
Vivemos em um mundo em que é preciso “cuidar” do meio ambiente.
O que podemos fazer para cuidar melhor do nosso planeta e conseqüentemente termos uma melhor qualidade de vida?
Escolhi para trabalhar esse conteúdo o livro Vamos Abraçar o Mundinho de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen. O livro é uma gracinha, tem uma linguagem clara ao abordar assuntos tão importantes como economia de energia, coleta seletiva do lixo, reflorestamento e muito mais, é minha gente... o livro tem conteúdo.
No mundo moderno as coisas evoluem rapidamente e a natureza acaba sendo degradada em nome do progresso. Dar as mãos e fazer um trabalho em conjunto para a melhoria da saúde de nosso planeta é como um verdadeiro abraço que, se for dado com carinho pelas crianças, possibilitará a essa geração ter uma vida mais feliz e saudável e ao mundinho também.
O que fazer para vivermos bem no mundo e preservar a vida? Ingrid Biesemeyer Bellinghausen, com sua arte cheia de cores e texto delicado, apresenta soluções ao alcance de todos, como economia de água, reciclagem e cuidado com os animais e as matas. Cada um ajudando um pouquinho, de mãos dadas, é possível abraçar e proteger o mundinho.
Nós já começamos e você? Quer ver as atividades? Clique aquí

domingo, 24 de abril de 2011

PROJETO OS PINGOS

Caras colegas, vocês já conhecem esses sete graciosos personagens de Mary e Eliardo França, através dos dois livros deles que já postei. Agora sugiro que conheçam o Projeto os Pingos, que nos dá uma excelente oportunidade de trabalharmos os valores e sentimentos tão necessários no mundo de hoje. Todos eles vivem juntos como uma verdadeira família, embora cada um tenha um jeito especial de ser, sabem viver em grupo, a amizade, o respeito e a solidariedade está sempre presente...
Acreditando que devemos, desde muito cedo, cultivar os valores no dia-a-dia dos nossos alunos e conscientizá-los da importância e da necessidade em preservar valores como respeito ao próximo, amor, amizade, gratidão, cooperação, colaboração e união, que escolho essa turminha para enriquecer as atividades de sala de aula.

sábado, 16 de abril de 2011

Livro: O aniversário

A leitura é o caminho mais importante para se chegar ao conhecimento. Portanto, a necessidade da familiarização das crianças com os livros desde o primeiro ano de vida é primordial. É preciso escolher uma obra que tenha linguagem adequada à sua faixa etária.
A História dos Pingos conta como é cada um desses personagens. O leitor vai descobrir qual Pingo se parece mais com ele. É um texto para todas as idades. As histórias surgiram em 1978 e caracterizam-se pela presença de pequenos textos da escritora Mary França onde a palavra assume uma musicalidade muito próxima da sensibilidade do ser poético da criança. Os desenhos, do talentoso Eliardo França, interagem, ludicamente, com o texto atraindo de imediato o pequeno leitor na construção de um imaginário rico em detalhes.
Podemos dizer que o principal objetivo de contar uma história em sala de aula é divertir, estimulando a imaginação das crianças. Mas é juntamente com este clima de alegria e interesse que a história desperta que se pode atingir outros objetivos, como: educar, instruir, desenvolver a inteligência, ser o ponto de partida para ensinar algum conteúdo programático; ou mesmo ser um dos instrumentos para tentar entender o que se passa com as crianças no aspecto afetivo-emocional, pois, muitas vezes, durante a história elas falam do que as está incomodando sem vergonha ou medo, já que se vêem dentro da mesma.
O livro escolhido é O ANIVERSÁRIO. Os Pingos e os amigos se juntam para comemorar o aniversário da amiga árvore e podendo explorar os cuidados com os seres vivos no casa a árvore. Onde pode discutir a valorização do meio ambiente e da natureza para a vida no planeta;
Identificar a árvore como um ser vivo;
Conhecer as partes das plantas: raiz, caule, folha, flor e fruto;
Conhecer as árvores atentando para aspectos referentes à sua alimentação, respiração e seu crescimento. Se você se interessou pelo livro e quer ver as atividades, então clique aquí

sábado, 19 de março de 2011

Oi amiguinhas e educadoras!
Mary e Eliardo França criaram além dos que já postei, personagens como, os Pingos com suas lindas ilustrações conquistam crianças e adultos. Eles são autores premiados no Brasil e no exterior e, consideram que o maior dos seus prêmios é a empatia e o carinho das crianças com os seus livros.
O casal Mary e Eliardo França é um dos grandes fenômenos do mercado editorial brasileiro. Autores de livros para crianças há 39 anos, juntos têm mais de 140 títulos publicados.
A bem-sucedida aventura literária do casal – ela escritora, ele ilustrador – com obras destinadas ao público infantil. Textos objetivos e belas ilustrações, rapidamente conquistaram as crianças em fase de alfabetização, tornando-se também material de apoio didático utilizado nas escolas de todo o Brasil. Nascidos em Santos Dumont, Minas Gerais, vivem hoje, com seus filhos e netos em Juiz de Fora.
Têm livros publicados em várias línguas com prêmios nacionais e internacionais. O casal trabalha em sintonia perfeita: os desenhos do talentoso Eliardo interagem ludicamente com o texto de Mary, atraindo de imediato o pequeno leitor na construção de um imaginário rico em detalhes, através do lúdico e da informação, proporcionando momentos de criatividade e lazer.
Vamos conhecer os Pingos, o livro Que Bicho Será? E as atividades sobre o livro?

sábado, 12 de março de 2011

NOME PRÓPRIO

A primeira preocupação no processo de alfabetização deve ser a de procurar trabalhar com elementos significativos para a criança e sabemos que o que tem mais significado para uma criança é seu próprio nome, seu nome próprio, que a identifica e lhe dá identidade. Porém não é somente com o nome do aluno que este trabalho deverá ser efetivado. Na medida do possível, quanto mais nomes (da escola, dos pais, da cidade, do estado, pais, revistas, jornais, rótulos, títulos de livros, governantes, etc...) puderem ser envolvidos nas reflexões, maior será a possibilidade de auxiliar os educandos a fazer as relações básicas a respeito da língua escrita. Quando as crianças aprendem a identificar e escrever seus nomes, estão aprendendo algo sobre a relação da palavra falada com a palavra escrita e essa aprendizagem é rapidamente transferida para outras atividades.
Então, por onde começar?
Por algo que tenha significado para a criança: seu nome.
A lista de chamada dos alunos da turma é um material rico para o começo da sistematização da alfabetização. Pois está carregado de significação afetiva, a identificação de uma função social é clara e estável, através do nome a criança pode lidar com várias informações convencionais: nome das letras, relações fonética, regras de combinação, sinais, são muitas as questões que se colocam para os educandos quando eles têm que escrever e ainda não estão alfabetizados: quantas letras por, quais letras por, por que meu colega escreve tão diferente de mim, diferenciar letras e desenhos, diferenciar letras e números, diferenciar letras, umas das outra, a quantidade de letras usadas para escrever cada nome, função da escrita dos nomes: para marcar trabalhos, identificar materiais, registrar a presença na sala de aula (função de memória da escrita) etc.; orientação da escrita: da esquerda para a direita, que se escreve para resolver alguns problemas práticos, o nome das letras, um amplo repertório de letras (a diversidade e a quantidade de nomes numa mesma sala), habilidades grafo-motoras, uma fonte de consulta para escrever outras palavras, tentar ler antes de saber ler convencionalmente, estabelecer correspondência entre partes do oral e partes do escrito, ajustando o que sabe de cor à escrita convencional, acionar estratégias de leitura que permitam descobrir o que está escrito e onde.
O trabalho com nome próprio pode ser, portanto, uma das atividades iniciais de leitura e escrita, desde que o professor leve em conta todas estas considerações que são também válidas para as atividades com diferentes textos.
Para trabalhar com nomes dos alunos, o professor deve ter certeza da grafia correta e precisa colocá-las em ordem alfabética com atenção. As dificuldades ortográficas dos nomes das crianças devem ser trabalhadas com naturalidade. Faça cartaz com os nomes dos alunos, crachá, prisma, lista, atividades em folha e no caderno etc...
Quer ver algumas sugestões de atividades? Então, clique aquí

FOGO NO CEU!

Mais um livro da coleção Gato e Rato de Mary e Eliardo França, para a criançada se encantar e aprender muito com ele.
O livro, Fogo no Céu, conta uma história interessante sobre um balão que apareceu no céu deixando os animais muitos preocupados com o perigo do balão cair na mata. Com muita criatividade aproveitaram a oportunidade para fazerem uma linda festa.
Com essa história pode aproveitar para trabalhar o perigo das queimadas, os incêndios que os bolões podem causar na natureza e na vida dos animais, a preservação do meio ambiente, focando o tema da Campanha da Fraternidade. Além da leitura e da escrita, é claro. Quer conhecer é só clicar.

Música - A Tartaruguinha

Este texto cria situações em que é possível realizar atividades de leitura sem estar alfabetizado, até mesmo quando não se conhece o valor sonoro convencional das letras. A proposta é “ler sem saber ler”, é o caso deste texto que os alunos já sabem de memória não a escrita dele, mas o conteúdo, em que a tarefa é descobrir o que está escrito em cada parte, tendo apenas a informação do que se trata o texto, esta é a música da Tartaruguinha. A tarefa de ler este texto obriga os alunos a ajustar o que sabem que está escrito com a escrita, ou seja, o falado à escrita. Que conhecer é só clicar.

quinta-feira, 3 de março de 2011

O COELHINHO QUE NÃO ERA DE PÁSCOA

Você já deve ter ouvido esta pergunta; “O que você vai ser quando crescer?”. Muita gente, às vezes nos pressiona para sermos o que não queremos ser. É o que acontece com Vivinho, um coelhinho que quer seguir seu próprio caminho. Ao contrário dos três irmãos e de todas as gerações anteriores da família, ele não quer ser um coelhinho de páscoa. O pai se decepciona, a mãe desmaia, os irmãos fazem crítica, mas Vivinho não se abate. Com uns amiguinhos muito especiais, ele aprende uma profissão que pode até salvar a páscoa da família. Como será que os pais de Vivinho vão aceitar esta nova profissão numa família tão tradicional?
Leiam a historia do Vivinho e depois olhem as atividades

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Texto "O baile"

Quem não gosta de dançar?
Todo mundo gosta, até os bichos.
Com frases simples e diretas e ilustrações coloridas, nesse livro, todas as crianças participarão do baile diferente que dona Coruja organizou e que provocou uma enorme confusão. Durante a roda de conversa ouvir os relatos dos conhecimentos prévios dos estudantes a respeito dos temas que podemos abordar com a história “O Baile”.
Podemos trabalhar de forma integrada o carnaval, coletar dados sobre o carnaval, conscientizar no sentido de que é preciso não confundir diversão com confusão, classificar os animais que nascem de ovos - ovíparos e nascem da barriga – mamíferos, os que têm pelos, penas, dois pés, quatro patas, pode escrever as letras inicias dos desenhos, fantasias, nome dos desenhos, desenvolver o gosto pela leitura, a linguagem oral e escrita enfim toas as áreas da Matriz Curricular. Sugiro algumas atividades.
Querendo ver é só clicar aqui. Boa sorte, muita criatividade e muita aprendizagem junto aos estudantes.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Estamos colhendo o que plantamos!!

Estou muito feliz porque o meu blog “ Encanto da Possibilidade” foi tema do Trabalho Final de Curso (TFC) de Especialização pela UFMS - MÍDIAS NA EDUCAÇÃO, através da elaboração do artigo científico do professor multiplicador do Núcleo de Tecnologia Educacional de Corumbá, Augusto César de Moraes com o tema “O blog como recurso pedagógico e forma de sociabilização entre professores da educação infantil da escola municipal Delcídio do Amaral em Corumbá/MS” , apresentado em Campo Grande no dia 27/11/10 cuja orientadora foi a professora Msc Elielma Velasquez de Souza Maiolino. Quer conhecê-lo é só clicar aqui.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

QUE BOM! O 2011 CHEGOU! E COM ELE GRANDES POSSIBILIDADES DO ENCANTAMENTO.

As aulas já vão começar!
Vida nova, alma nova e sonhos pra alcançar.
Se encantem com o pensamento de Carlos Drumond de Andrade.
"Para sonhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre."
(Carlos Drummond de Andrade)

O DIA DA GRANDE FESTA CHEGOU! Mas de que festa estamos falando?
Do Aniversário do Seu Alfabeto.
Isso mesmo! Mas quem ganha o presente é a criançada. Neste livro de Amir Piedade, com as ilustrações coloridas e divertidas de Luiz Gesini, as letras do alfabeto são apresentadas uma a uma através de um texto extremamente interessante que nos estimula a construir e a reconstruir o nosso saber fazer.
A história nos conta que foram feitos muitos preparativos, com deliciosas guloseimas, para receber festivamente os elegantes convidados. Cada letra levava um presente ao aniversariante. Tudo estava calmo até que chegaram os gêmeos SS e RR, que aprontaram uma grande confusão. Venha participar desta encantadora festa para conhecer e compartilhar com a família do Seu Alfabeto.
Título: O Aniversário do Seu Alfabeto
Editora: Cortez
Autor: AMIR PIEDADE
Ilustrador: LUIZ GESINI,
Número de páginas: 27
Este é o livro sugerido para o primeiro de muitos outros que virão. É um livro maravilhoso para apresentar e trabalhar o alfabeto e os nomes dos alunos. Tendo em vista a necessidade dos estudantes se aprofundarem no processo de letramento de uma forma prazerosa e lúdica. Explorando o livro, O Aniversário do Seu Alfabeto, possibilitamos a uma vivência real e concreta do alfabeto.
O alfabeto não pode faltar deve estar presente e ocupar uma posição central na sala desde o primeiro dia de aula. Material de apoio precioso e necessário para um ambiente alfabetizador na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental, é a ele que os pequenos aprendizes recorrem quando querem encontrar uma letra e saber como grafá-la.
O alfabeto da classe é um companheiro permanente para quem ensaia os primeiros passos no universo da leitura e da escrita.

O que se pretende com este livro e as atividades propostas:

Apresentar as diferentes possibilidades de grafar a uma mesma letra;
Conhecer e identificar para diferenciar letras de desenhos e números;
Despertar no estudante o encantamento de forma prazerosa no processo do ensino e aprendizagem através da ludicidade facilitando a assimilação do alfabeto sistematiza- ando o estudo das letras;
Desenvolver o prazer da escrita espontânea e o encantamento pela leitura;
Trabalhar valores e emoções que fazem parte da realidade;
Podendo ainda:
Trabalhar intensamente com os nomes das crianças, destacando as letras iniciais usando fichas, crachás e alfabeto móvel;
A audição de leitura com ou sem imagens de vários gêneros textuais como: notícias, propagandas, histórias, cartas, bilhetes, convites e etc;
Atividades de escrita espontânea como listas, ditado, textos que se sabe de cor explorando o conhecimento prévio dos estudantes, e a manipulação intensa do alfabeto móvel;
Atividades para distinção de letras e numerais;
Caixa com palavras ou nomes significativos para cada aluno ou para a classe;
Jogos diversos como bingo, memória, dominó associando nomes e iniciais, desenhos, quebra-cabeça com gravuras, nomes, letras, pescaria de nomes;
Jogos com o alfabeto móvel: formar o próprio nome e o dos colegas, separar e agrupar
Crachá com o primeiro e nome completo para cada criança e etc.
Então, leu o livro, GOSTOU? Quer ver as ATIVIDADES? Basta clica aqui